shutterstock_79547737

Segundo a wikipedia, viés de confirmação é a tendência de se lembrar, interpretar ou pesquisar por informações para confirmar crenças ou hipóteses iniciais. É um erro de raciocínio indutivo que faz com que a pessoa veja apenas uma possibilidade, e não várias. O viés de confirmação é um dos maiores motivos pelos quais um “coxinha”, mesmo frente a uma argumentação válida e baseada em fatos que seja contrária ao que ele acredita, chama o interlocutor de “petralha”. Da mesma maneira, um “petralha”, quando tem contato com algum argumento sólido e baseado em fatos que contradiz o que ele pensa, chama o interlocutor de “coxinha”. Nenhum dos dois tem a capacidade de enxergar além do horizonte que criou para si próprio.

O viés de confirmação está por trás de muito do cenário social brasileiro nos últimos tempos, mais notadamente com a internet e as redes sociais. Se você reparar bem, sua timeline do Facebook e suas pesquisas do Google costumam trazer resultados que sempre corroboram sua crença inicial. Muitos não sabem, mas para uma mesma busca, os resultados do Google são diferentes para cada usuário, conforme seu histórico de navegação e interesses. O mesmo ocorre com as informações que aparecem no seu Facebook. Isso coloca as pessoas em uma bolha perigosa e irreal que nada representa a realidade lá fora. Ok, mas o que isso tem a ver com os negócios?

Quanto maior a diversidade de informações e conhecimento, maior vai ser a qualidade e a fundamentação das suas decisões. Com o viés de confirmação atuando, um líder tende a acreditar somente naquilo que já acreditava antes. E pior, cada nova informação apenas confirma esse pensamento. Isso acontece comigo, com você, com a diretoria da sua empresa. Só que, felizmente, o mundo lá fora é muito mais variado e plural em desejos, opiniões e comportamento do que a gente costuma acreditar ou perceber.

É claro que sua empresa precisa ter foco. Mas deixar de abrir os olhos para outras oportunidades é um grande risco. Um empresário de comportamento muito conservador, que se identifica com as ideias de bolsonaros ou malafaias, por exemplo, nunca vai perceber as oportunidades de negócios que existem num mercado como, digamos, o de casais homossexuais. Nos EUA, eles são chamados de DINKs – Dual Income, No Kids (renda dupla, sem filhos). Apenas por essa denominação já é possível vislumbrar o potencial de consumo.

Saia da sua sala, do seu mundinho, do círculo de pessoa que pensa como você. Procure argumentos contrários, ideias diferentes, possibilidades não vistas. Duvide das suas próprias crenças. Derrube o viés de confirmação.

É claro que você pode, sim, estar 100% certo. Mas se estiver apenas meio certo, você automaticamente abre 50% a mais de possibilidades.

Dan Zecchinelli
Diretor Executivo de Criação da Filadélfia